Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2015

OLIVER SACKS E TRECHOS DE SUA CARTA DE DESPEDIDA : "NÃO HÁ TEMPO PARA NADA QUE NÃO SEJA ESSENCIAL"

“Não há tempo para nada que não seja essencial”: trechos da carta de despedida de Oliver SacksExistem 2 grandes paixões na minha vida que foram contempladas pelas obras de Oliver Sacks: O estudo da neurologia e a paixão pela literatura. Como escritor, esse grande neurologista sempre foi capaz de fazer com que os casos mais raros e os conceitos mais completos fossem compreensíveis lhes fornecendo toques de romance e belíssimas descrições bibliográficas como a que fez com a autista savant  dra Temple Graudim em “O homem que confundiu sua mulher com um chapéu” ou mesmo em “Tempo de Despertar, romance baseado em fatos reais que deu origem ao filme e descreve as mudanças acarretadas em alguns pacientes de uma casa de repouso após a inserção de uma medicação específica.
Abaixo, um texto publicado originalmente publicado em:New York Times, em 19 de Fevereiro.traz uma notícia muito triste: a carta de despedida de Oliver Sacks que descobriu recentemente um câncer terminal no fígado. Compartilho c…

A HISTÓRIA DE KAFKA E A MENININHA DA BONECA PERDIDA : PARA ONDE VAI O AMOR QUE SE PERDE ?

A história de Kafka e a menininha da boneca perdida em Berlim: para onde vai o amor que se perde?Há uma história do escritor Franz Kafka (1883-1924), famoso por “A Metamorfose“, “O Processo” e “Carta ao Pai“, que mostra um singelo e doce lado do autor que já foi descrito como esquizóide, depressivo e anoréxico nervoso: uma história de amor em que ele ajuda uma menina desolada pela perda de uma boneca em uma praça de Berlim. A história tem algumas versões e abaixo seguem duas delas (traduzidas para o português): a primeira da terapeuta americana May Benatar, que ouviu da psicóloga e instrutora de meditação budista Tara Brach, publicada no site The Huffington Post, e a segunda do renomado tradutor de Kafka, Mark Harman, como foi publicado no site The Kafka Project. “Para mim essa história traz duas sábias lições: a primeira que tristeza e a perda são presentes mesmo para uma pequena criança, e a outra que o caminho para a cura é ver como o amor volta em outra forma”, diz May Benatar, cu…

LOUCOS E SANTOS,TEXTO DE OSCAR WILDE,DECLAMADO POR ANTÔNIO ABUJAMRA

“Loucos e santos”, texto de Oscar Wilde , declamado por Antônio Abujamra Loucos e SantosPor Oscar Wilde

Escolho meus amigos não pela pele ou outro arquétipo qualquer, mas pela pupila. Tem que ter brilho questionador e tonalidade inquietante. A mim não interessam os bons de espírito nem os maus de hábitos. Fico com aqueles que fazem de mim louco e santo. Deles não quero resposta, quero meu avesso. Que me tragam dúvidas e angústias e aguentem o que há de pior em mim. Para isso, só sendo louco. Quero os santos, para que não duvidem das diferenças e peçam perdão pelas injustiças. Escolho meus amigos pela alma lavada e pela cara exposta. Não quero só o ombro e o colo, quero também sua maior alegria. Amigo que não ri junto, não sabe sofrer junto. Meus amigos são todos assim: metade bobeira, metade seriedade. Não quero risos previsíveis, nem choros piedosos. Quero amigos sérios, daqueles que fazem da realidade sua fonte de aprendizagem, mas lutam para que a fantasia não desapareça. Não quero amigos adultos …